segunda-feira, 28 de março de 2011

DEUS E A LEI DA CAUSA E EFEITO - Uma crítica ao fundamento da Teologia da Prosperidade



Segundo vídeo da série: vamos explorar mais ainda o tema da Teologia da Prosperidade. Façam seus comentários positivos ou negativos. Aqui não tem obscurantismo. Espaço democrático é isso! Um abraço!

Voz da Consciência

5 comentários:

  1. Sidney (Santos-SP)28 de março de 2011 21:10

    Rodrigo,

    Primeiramente, parabéns pela iniciativa, está muito legal!
    Concordo plenamente com o fundamento, não precisamos de intermediários, tao pouco de "corretores" que vendem Deus e tiram comissão.
    Voce abordou a lei de causa e efeito pelo aspecto materialista, como forma de barganha.
    Mas praticar boas açoes, dentro de principios, e ajudar ao proximo nao é um meio de evoluir e buscar a Deus?
    Não há receita de bolo para chegar a Deus, mas há um caminho de evolucao, podemos busca-lo ou nao.
    Essa é minha ótica em relacao a lei de causa e efeito.

    ResponderExcluir
  2. Olá conterrâneo Sydney! Saúdo-o pelo prestígio ao nosso humilde mas sincero trabalho! Faço votos de que continue participando e divulgando o blog.

    Sobre a sua colocação acerca das boas ações, concordo em gênero, número e grau. Aliás, as boas ações em relação ao próximo são uma ordem expressa de Jesus, no sentido de que os dez mandamentos poderiam ser resumidos neste e em amar a Deus sobre todas as coisas.

    Todavia, o enfoque que se quis dar com a lei de causa e efeito foi também no âmbito espiritual, não só material. Procuramos falar da lei como barganha, mas também como uma malversação dos requisitos para a salvação no fim dos tempos.

    Demos ênfase ao dito "sacrifício religioso", que é exigido ou imposto por uma série de denominações religiosas internamente.

    O foto de não precisar de sacrifícios para se chegar a Deus, porque a misericórdia dEle é ampla, não significa, de forma alguma, que devamos abandonar as boas ações.

    Um grande abraço a você e parabéns pela colocação.

    Rodrigo Barros

    ResponderExcluir
  3. Sidney (Santos-SP)29 de março de 2011 00:02

    Agora ficou claro e concordo em genero, numero e grau!

    Abraco!!

    ResponderExcluir
  4. Grande Rodrigo! Lembra-se de mim, certo?
    Parabéns pela iniciativa, excelentes palavras e bem colocadas, como sempre teve desde a infância e pelo jeito não as perdeu!
    Esse vídeo vai de encontro com tudo em que eu acredito. Eu acredito em um ser superior, mas não sigo nenhuma religião! Acho que Deus não precisa lotar um estádio pedindo todas as armações de óculos, como já aconteceu! Até entendo as igrejas pedindo dízimo, pois no nosso mundo infelizmente uma organização não funciona sem dinheiro, mas tem que ter a consciência de quanto é realmente necessário! Como diz meu irmão, santo num conhece dinheiro e não come!
    Como foi citado acima pelo Sidney, meu conterrâneo tbem, é praticar boas ações e ter a consciência que está fazendo o certo, não esqueçamos o livre arbítrio!

    Continue fazendo esses posts e vídeos, são sempre bem vindo!

    Até mais,

    Denis Nakamoto.

    PS: Qdo tu for pra Santos, vê se entra em contato hein!

    ResponderExcluir
  5. Olá Denis! Primeiramente dizer que é evidente que me lembro de você, afinal, estudamos juntos por considerável lapso de tempo no Ruy Ribeiro Couto e, posteriormente, no Canadá. Além do mais, gostei muito da sua visita e faço votos que você continue nos prestigiando e participando.

    Sobre o seu posicionamento acerca das questões religiosas e sobre seu lado espiritual independente de religião não sou a pessoa mais indicada para redargui-lo.

    A crença das pessoas é uma coisa muitíssimo delicada e deve ser tratada com todo o carinho pelos operadores da fé.

    O nosso blog não tece nenhuma crítica à fé das pessoas, sejam elas umbandistas, budistas, católicas, taoístas, candomblé, hinduístas, confucionistas, espíritas, evangélicas, judias, islâmicas, santo daime, testemunhas de jeová, adventistas do sétimo dia, batistas, mórmons ou até mesmo atéias.

    Nosso blog é um espaço democrático onde as pessoas tem o direito de pensar!

    Queremos levar as pessoas a refletir na condição humana, visando uma evolução coletiva da humanidade.

    Por isso que a participação de todas as pessoas que crêem nesse desiderato é demasiado importante.

    Um grande abraço a você e mais uma vez, obrigado pelo prestígio. Mande lembranças à família.

    Fique com Deus!

    Rodrigo Barros

    ResponderExcluir